Notícias

Endosso de seguro: o que é e como funciona

Por Filtros Tecfil

Saiba o que é o endosso de seguro e as formas para obter esse documento

Ao adquirir um carro ou qualquer outro bem relevante, a parte relacionada à documentação costuma ser bastante extensa. Isso é comum; afinal, todos nós precisamos garantir que a parte jurídica esteja em dia, para evitar problemas no futuro.

Nesse cenário, uma atitude consciente e benéfica por parte do proprietário se dá ao firmar contrato com uma seguradora, que servirá como um amparo vital em diversas situações. A vantagem dessa ação é que parte do ônus carregado pelo dono do veículo é transferido à empresa contratada. 

Mas nenhum contrato de seguro é imutável. Pelo contrário. Quando algumas alterações surgem na vida do cliente, o acordo precisa acompanhá-las. Em outras palavras, é importante que todos os dados estejam atualizados na documentação. É aí que entra o papel do endosso de seguro. 

Você, como cliente, conhece o endosso e suas funções? Continue a leitura para saber mais desse documento tão importante. 

O que é o endosso de seguro?

O endosso de seguro é um documento que irá atestar toda e qualquer alteração na apólice original do serviço. Ele também é conhecido como “aditivo do contrato de seguro”. Entre as mudanças mais usuais do endosso, destacam-se:

  • Alteração do próprio objeto do seguro (troca de carro);
  • Dados do segurado: CPF, telefone, estado civil;
  • Datas e formas de pagamento;
  • Redução ou aumento dos valores de indenização;
  • Inclusão ou exclusão de coberturas (tópicos pelos quais aquele plano específico da seguradora será responsável).
Análise de contrato para endosso de seguro

Qualquer alteração, adição ou exclusão que modifique o contrato de seguro precisa ser realizada pelo endosso. Portanto, trata-se de um instrumento cuja finalidade é atualizar a realidade do cliente, desde a simples troca de endereço a uma nova situação financeira.

O primeiro passo é contatar o corretor, que será encarregado de fazer essa ponte entre cliente e seguradora, explicada com mais detalhes mais abaixo.

Exemplos de alterações

Para que se entenda como essas mudanças – aparentemente pequenas – podem exigir alterações no contrato do seguro, trouxemos alguns exemplos ilustrativos. Lembrando que cada caso deve ser avaliado individualmente para, então, criar uma proposta. 

Novo veículo

Se o antigo automóvel que constava no seguro tinha um valor menor, agora, com um novo e mais caro modelo, os riscos são maiores. Dessa forma, deve haver endosso e, dependendo do caso, uma expansão da cobertura e valor. 

Novo endereço

Se, por exemplo, o segurado morava em uma residência sem garagem e porteiro, e agora mudou-se para um apartamento que dispõe de ambos, a tendência é que os riscos diminuam. Assim, deve haver redução do valor, ou até a devolução de uma eventual quantia paga anteriormente.

Como funciona o endosso de seguro

O endosso de seguro é necessário sempre quando houver alteração no risco do objeto segurado, afetando o contrato atual. Ou seja, basicamente, quando as atualizações interferirem no contrato previamente firmado. Caso tenha dificuldade em identificar a sua situação, converse com seu corretor. 

Evidentemente, a partir dos seus acertos, o endosso poderá acarretar em cobranças adicionais ou a redução delas. O orçamento será pautado de acordo com o novo quadro posto, de modo a satisfazer ambas as partes – e, claro, que o contrato condiga com os itens listados.

Importante destacar que o endosso precisa ser validado junto à seguradora e ter anuência tanto dela como do segurado. O primeiro passo é dado pelo cliente, que deve informar à empresa todas as alterações a serem feitas: se mudou de veículo, estado civil ou telefone, por exemplo. 

Dependendo do aspecto em questão, o seguro em si também deve sofrer alterações, como deve observar o corretor. Contas detalhadas precisam ser feitas para a cotação, sempre apresentando dados específicos.

Firmando o endosso de seguro

Normalmente, é o corretor quem irá tomar essas providências, estabelecendo uma proposta calculada. A partir disso, cabe à seguradora avaliá-la para definir se serão ou não aceitas em até 15 dias.

Logo, existem algumas etapas que são seguidas para a emissão do endosso de seguro. Confira abaixo:

1 – Cotação: normalmente realizada pelo corretor, seu objetivo é verificar se houve agravamento ou redução do risco a partir das mudanças. Com isso, ele define se haverá cobrança ou devolução de prêmio.

2 – Proposta: elemento que torna oficial o pedido do cliente para a seguradora, que, por sua vez, fará a análise.

3 – Emissão do endosso: no prazo de até 15 dias após a proposta, o endosso é emitido; e a apólice, atualizada. 

Eventualmente, pode ser requerida uma vistoria prévia ou inspeção do objeto do seguro. Assim, por exemplo, podemos deduzir o quão importantes são as manutenções preventivas, para que não ocorram certos inconvenientes durante as inspeções.

Caso o endosso não seja uma opção plausível, inclusive considerando questões financeiras do contratante, este poderá cancelar sua apólice atual e contratar outra seguradora, começando do zero. 

Síntese

Vale reforçar que caso tenha qualquer dúvida com relação ao risco do seu seguro, o seu corretor pode – e deve – ser consultado. Lembre-se que você faz seguro para estar garantido! 

Por definição, o seguro é a transferência do risco para a seguradora, que assume as obrigações a partir daí. Não há razão para deixar dúvidas em aberto, ou não se sentir satisfeito com a papelada firmada. 

Outro ponto indispensável, por mais óbvio que seja, é a leitura de todas as cláusulas do contrato do seguro. Essa prática amenizará as chances de algum problema com o serviço no futuro, já que o cliente já terá essa noção dos possíveis cenários e seus direitos.

Além disso, procure sempre um corretor de confiança, de preferência recomendado por um terceiro, e que já tenha alguma experiência na área, com uma postura idônea. Nesse sentido, uma seguradora de confiança, que atende bem seus clientes, também faz toda a diferença.

Em suma, o endosso de seguro é essencial para a vida do cliente e da empresa. É esse documento que mantém a validade do seguro conforme alterações na realidade.

E agora, depois da leitura, resta alguma dúvida sobre o tema?

Basta seguir todos os passos e contar com profissionais éticos para que o seu seguro – automotivo, de vida, ou imóvel – seja uma preocupação  a menos na sua vida, trazendo a sensação de apoio e, como o nome já diz: segurança. 

Escrito por

Gracyane Borges

Gracyane mestranda em ciências da linguagem na Universidade Federal do Rio de Janeiro o, formada em Jornalismo torcedora do tricolor.